sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A proteína isolada da soja e seus benefícios


O consumo de proteína de soja no lugar de proteína animal pode reduzir as concentrações séricas de colesterol total, lipoproteínas de baixa densidade (LDLs) e triglicerídeos. 

Em 1999, a Food and Drug Administration EUA (FDA) aprovou a alegação de saúde para a relação entre o consumo de produto derivados de soja e a redução do risco de doença cardíaca coronária, com base no resultado dos ensaios clínicos humanos (Hasler, 2002). 

Enquanto a FDA aprovou a declaração de benefícios para a saúde, Munro e colaboradores (2003) conduziram uma meta-análise da literatura atual e descobriu que a literatura suporta a segurança das isoflavonas (fitoquímicos da soja) para a saúde humana.
Os benefícios da soja também incluem a prevenção de certos tipos de câncer, melhoria da saúde após a menopausa e prevenção e/ou controle da obesidade.
As proteínas também são importantes para manter o controle do apetite, ativação do metabolismo e manutenção e/ou aumento da massa muscular.


A proteína isolada de soja é uma proteína de alta qualidade derivada da soja, onde toda a gordura e carboidratos são removidos, resultando em um pó de proteína que pode ser incorporado em uma variedade de alimentos.
Proteína isolada de soja pode ser adquirida como um pó simples e pode ser misturada com leite e frutas para criar um alimento rico em proteínas, ou pode ser adicionado a uma variedade de alimentos como sopas, molhos ou cereais quentes para aumentar o conteúdo de proteína.




A Soja Ajuda a Reduzir Riscos Cardíacos nas Mulheres 

da France Press, em Tóquio

As mulheres que consomem produtos à base de soja regularmente têm de 3 a 4 vezes menos riscos de sofrer um ataque ou uma crise cardíaca, afirma um estudo japonês realizado por 13 anos, a pedido do Ministério da Saúde do país.

Os resultados foram publicados no periódico “Circulation”, da Associação Cardíaca Americana, informou o jornal “Asahi Shimbun”.

Segundo o estudo, os produtos derivados da soja, que é rica em isoflavona e em vitamina E, têm efeitos protetores ainda mais significativos nas mulheres que já entraram na menopausa.

No entanto, deve-se ter o máximo cuidado ao escolher os produtos à base de soja, pois, os integrais contém um componente chamado fitato, que pode provocar a desmineralização do organismo.

Os melhores são sempre os “isolados” ou seja, livres do fitato.

Os testes começaram em 1990 e continuaram até 2002, com 40.462 japoneses de ambos os sexos, com idades entre 40 e 59 anos, e que não fossem vítimas de câncer, nem de doenças cardíacas.

Homens e mulheres foram divididos em cinco grupos, em função da quantidade de soja consumida diariamente.
Resultados

O estudo mostrou que o risco de apoplexia ou de crise cardíaca era de 0,39 nas mulheres que consumiram mais soja, contra 1 para aquelas que consumiram a menor quantidade. A diferença é ainda maior –de 0,25 para 1– no grupo das que já estão na menopausa.

Em contrapartida, a pesquisa não expôs nenhuma grande alteração entre os cinco grupos masculinos.

As mulheres que registraram o menor risco de desenvolver problemas cardíacos consumiam, por dia, o equivalente a 45 gramas de natto (soja fermentada) ou cerca de 100 gramas de tofu (queijo de soja).

Outros elementos, como as algas, por exemplo, somadas à soja, também contribuem para aumentar as defesas do organismo, destacou Yoshihiro Kokubo, pesquisador do Centro Nacional Cardiovascular, citado pelo jornal “Asahi”.


A HERBALIFE conhece desde 1980 os poderes da PROTEÍNA DE SOJA ISOLADO, encontrado no nosso SHAKE e na PROTEÍNA EM PÓ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário